terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Qual é o jogo?

Antigamente dizia-se que a publicidade era como um jogo de boliche, onde as empresas disparavam uma mensagem para tentar atingir a maior quantidade de pessoas possíveis. E assim, quanto mais bolas eram derrubadas , melhor era a jogada.

Há alguns anos atrás começaram a reavaliar o "jogo" e passaram a acreditar que a publicidade não era mais como um jogo de boliche e sim de pinball, onde as empresas não podem simplesmente jogar a bola. A "bola" não pode parar, bate ali, vai pra cima, vai pra baixo, vai pro lado, volta para você, você devolve e assim vai até que ela caia. Segundo eles, vence o jogo quem fica nele por mais tempo.

Entenda melhor com o vídeo abaixo:

Mas será que é assim mesmo que o jogo ainda funciona?
A publicidade, nos tempos modernos, assemelha-se muito mais a um jogo de futebol. Brasileirismo a parte, um bom jogo de futebol.
Apenas jogar a bola e esperar atingir o maior número de pinos não é uma forma muito inteligente de se raciocinar publicidade, tampouco esperar que se manter no jogo será suficiente para atingir seus objetivos. Aliás, manter-se no jogo por mais tempo não é um grande objetivo. É sobrevivência. É o que todos tentam fazer.

A publicidade é mais parecida com o futebol. Ah, o futebol. Um jogo de emoção, de raça, de técnica, que envolve e faz milhões de pessoas sorrirem, chorarem, vibrarem e amarem seus times. Um jogo que vai além das estatísticas, dos números e das dificuldades.
Nesse jogo, duas equipes lutam e dão o máximo para ganhar, fazer a torcida vibrar e somar pontos no campeonato. Na publicidade também temos que fazer boas campanhas que convertam em vendas, conquistar o público e assim somar pontos à marca (branding).

Exatamente como em um jogo de futebol, não basta aprender os melhores dribles e formar uma ótima equipe. Para ganhar o jogo é preciso mais. É preciso entrega, raça, técnica, estratégia e o apoio da torcida. Vários fatores influenciam: a chuva, problemas internos, reclamações da torcida, jogador estrela, etc... É aqui que entram as agência de publicidade. Elas são os técnicos da propaganda. O técnico tem que descobrir e levar em conta todos esses fatores e fazer com que, mesmo assim, o time jogue bem, faça gols, acerte a defesa e motive a equipe para dar o melhor de si e assim vencer o jogo e cair nas graças da torcida.

Para conseguir fazer um bom jogo, é necessário entender a essência dele. Jogar bonito e dar ótimos dribles de nada vale se a jogada não converter em gols. No mundo das marcas é a mesma coisa. Não adianta dominar ferramentas e fazer boas jogadas se elas não forem convergentes o suficiente para alcançar o objetivo inicial. É claro que uma jogada bonita é sempre muito bem vinda, mas a agência tem o papel de saber utilizá-la da melhor forma e na melhor situação pensando no bem da equipe. É uma questão de foco.

Se o time está jogando bem e os resultados são positivos, a torcida vai ficar feliz e voltará sempre aos estádios para prestigiar e curtir um tempo com seu time. Amor, resultados, estratégia e arte. Assim é o futebol. Assim é a publicidade.

4 comentários:

  1. nunca tinha pensado por esse lado, mas é real.
    o video é muito bom tambem.
    gostei =)

    ResponderExcluir
  2. I recently came across your blog and have been reading along. I thought I would leave my first comment. I don't know what to say except that I have enjoyed reading. Nice blog. I will keep visiting this blog very often.

    Susan

    http://texasholdpoker.info

    ResponderExcluir
  3. A riqueza da metáfora com o pinball não é pelo máximo de pinos atingidos, mas pela relação dialógica contínua, mantendo o jogo vivo pelo maior tempo possível. A analogia com o futebol tem pontos interessantes em um viés publicitário, mas continua sendo um jogo com começo, meio e fim. Mantém o raciocínio de campanha e não de presença da marca. É essa mentalidade que precisa ser compreendida. O momento atual nos traz o desafio de pensar menos em flights e mais em plataformas de comunicação.

    ResponderExcluir
  4. Walteen,

    A metáfora feita com o Futebol foi pensada muito pela relação de durabilidade e interação também. Fato é que os clubes são reconhecidos por história, que são construídas com títulos e apoio da torcida.
    As marcas também, são lembradas por sua presença, de campanha em campanha e a relação que mantém com seus consumidores.

    Não discarto a teoria do pinball, mas acredito que o Futebol representa melhor toda essa história.

    Abraços e obrigado pelo comentário.

    ResponderExcluir